Medicina Oral

    Patologia mais frequentes em medicina oral:

    • Úlceras orais recorrentes (aftas)
    • Candidíase oral
    • Infecções virais (herpes)
    • Líquen plano oral
    • Xerostomia (sensação de boca seca)
    • Leucoplasia e outras lesões potencialmente malignas
    • Cancro oral
    • Osteonecrose dos maxilares associada à toma de bisfosfonatos
    • Síndrome da boca ardente/queimada

    Exemplos de patologia sistémica com possível envolvimento da cavidade oral:

    • Anemia e outras doenças de sangue (ex.: leucemias)
    • Doença crónica inflamatória intestinal (Doença de Crohn, colite ulcerosa e doença celíaca)
    • Doenças auto-imunes (lúpus, artrite reumatóide, penfigo, penfigoide, cirrose biliar primária, etc.)
    • Manifestações orais das reacções secundárias ao uso de medicamentos
    • Tratamento das complicações orais do tratamento do cancro (radioterapia, quimioterapia, osteonecrose dos maxilares associada aos bisfosfonatos)

Cirurgia Oral

O acto cirúrgico mais frequente em cirurgia oral é a exodontia que consiste na remoção de dentes da arcada dentária quando estes não são recuperáveis por meios conservadores ou quando existe indicação para tal por motivos ortodônticos.

Também os dentes inclusos (dentes que não erupcionam) podem ter de ser removidos. O dente que mais frequentemente se encontra incluso é o terceiro molar ou dente do siso.

No entanto a cirurgia oral é muito mais abrangente que isto e intervém sempre que haja necessidade de tratar lesões ósseas (como quistos e exostoses), lesões dos tecidos moles (fibromas, quistos mucosos, tumores) e quando há a necessidade de substituir dentes perdidos por implantes dentários.

    Tratamentos e patologias mais frequentes:

    • Exodontias
    • Remoção de dentes inclusos
    • Exérese de quistos e outras lesões ósseas dos maxilares
    • Exérese de lesões dos tecidos moles dos maxilares
    • Regeneração óssea
    • Implantes dentários
    • Cancro oral
    • Tratamento cirúrgico da patologia das glândulas salivares